16/10/07

Trabalhando com Matemática do Tempo

É a sucessão de anos, dias, horas,... que envolve para o homem a noção de presente, passado e futuro. É um meio continuo, indefinido, no qual os acontecimentos parecem sucederem-se em momentos irreversíveis.
(É a medida que o humano leva mais tempo para elaborar e compreender. É abstração pura).

Outras Unidades de Medida de Tempo:
  • hora:24h
  • semana: 7 dias
  • mês : 28, 29, 30 ou 31 dias
  • ano: 12 meses = 365, 2422 dias
  • minuto: 60s

Sugestão de Atividade

  • enfatizar, de acordo com as tarefas, o que acontecerá antes do recreio, antes do feriado, depois do feriado, antes da aula de educação Física, depois,...
  • confeccionar calendário
  • confeccionar relógio
  • observar diferentes tipos de relógios: de sol, de parede, de pulso, digital, ampulheta
  • trabalhar com um relógio de parede, abservando a passagem de segundos, minutos e horas e a relação existente.

11/10/07

Matemática e Literatura

Atividade para trabalhar interdiciplinar a literatura e matemática

Encaminhamento:
  • Ler a história e conhecer o livro
  • Trabalhar a matemática da história
  • Fazer outras exploração

Atividade: " Pirulito do pato" de Nilson José Machado

O pato Dino levou um pito

Tudo por cauda de um pirulito.

Um pirulito e dois patinhos...

A mamãe Pata disse, mansinho: " Lino e Dino, venham aqui!"

O patoDino o que fez, então?

Deu o palito pro seu irmão!

Disse a mãe Pata:" Seu vivaldino! Não é assim! Pobre do Lino!

Divida ao meio sem truque algum.

Uma metade pracada um.

Dino já até cortando, quandooutra pata veio chegando.

Era uma amigada mamãe pata, chamada Xoca, nada cordata...

E trouxe o filho, que bem chatinho falou: " Eu quero um pedacinho! "

A mamãe Pata disse a sorrir: " Pois em três

Partes vou repartir.

Tudo igualzinho, sem truque algum.

Peguem: um terçopra cada um! "

Já estava tudo acertadinho, quando chegou o pato Zinho.

O Pato Xato, filho da Xoca, disse: " Em meu terço ninguém mais toca! "

O pato Lino, que é amigão do pato Zinho, falou

Então:

" Não faz mal, não! Deixem comigo. Divido o meu com meu amigo"

Cortando ao meio o seu pedaço, deu logo ao Zinho, ganhando um abaço.

A Partir da história ( que pode ser dramatizada, desenhada,...) podemos fazer alguns questionamentos orais que oportunizem a criança não só a compreensão da história, mas dos conceitos matemáticos envolvidos:

  • Você costuma dividir o que é seu? Com quem?
  • O que a mamãe pata quis dizer com: divida ao meio sem truque algum?
  • Como a mamãe pata mandou que Dino dividisse o pirulito na primeira vez?
  • Escreva a fração que representa a parte do pirulito que cada um receberia.
  • Desenhe como ficou a divisão do pirilito nesta nova fase.
  • Através dessa questões poderemos fazer várias outras.

10/10/07

Sugestão de atividade matemático sobre unidades de medidas de comprimento

  • Confeccionar cartaz com altura das crianças, que deverá ser refeito periodicamente para analisar as diferenças;
  • Medir a altura das crianças com barbante ou tiras de papel;
  • Utilizar partes do corpo para realizar medidas, relacionando com a história, ressaltando o surgimento da unidade padrão.
  • Fazer medições na sala ( comprimento da carteira, caderno, etc) com diferentes unidades: palitos de picolé, de fósforo.
  • Confeccionar um metro em tira de papel, ir dobrondo e relacionando com os números racionais.
  • Determinar perímetros variados.

03/10/07

Poemas

Atividades para trabalhar com poemas :
Entregar uma série de poemas de um determinado autor. As crianças tomam conhecimento delas e escolhem que gostariam de ler e reinventar.
Exemplos: leilão de Jardim, A Bailarina, O Eco, e outras de(Cecília Meireles) . Ler o poema
Imaginar este jardim pra depois ilustrar.
Dramatização com poemas. Todos os dias cada um dos aluno recita um poema na sala para os outros colegas.
A poesia é acima de tudo emoção. A linguagem poética deve ser apreendida antes pelos sentimentos que pela razão.
E Eco (Cecília Meireles)
O Menino pergunta ao eco
Onde é que ele se esconde:
Mas o eco só responde:
"Onde? Onde"?
O Menino também lhe pede:
" Eco vem passear comigo!"
Mas não sabe se o eco é amigo
ou inimigo:
" Migo, Migo".

28/09/07

ENCENANDO ATITUDES QUE NOS FAZEM FELIZES

1ª PARTE: Dinâmica para montar os grupos: Dentro de balões coloridos coloque as cinco atitudes que devem ser encenados pelos diferentes grupos. Exemplo: sinceridade, honestidade, amizade, respeito, alegria, dignidade, escutar o outro, entre outras. Coloque uma música bem animada, forneça um balão para cada aluno. Estes devem dançar ao som da música e não deixar os balões cairem. Podem trocar de balão, o que não podem é deixar cair balões no chão.
Quando a música parar, devem estourar seus balões e ver em qual grupo estão.
2ª PARTE: Situar cada equipe em um lugar para que possam preparar a sua encenação.
3ª PARTE: apresentação para os colegas e debate das atitudes que cada grupo encenou.

VAMOS APRENDER NOS DIVERTINDO !

25/09/07

Uma História em equipe

Objetivo: Estimular a criativadade, a consciência ecológica e o trabalho em equipe.

Material: folha A4, lápis de cor, canetas.

Como fazer:

  • Dividir a turma em pequenos grupos;
  • Cada grupo desenhará uma história dividida em cinco capítulos. Cada capítulo em folhas separadas. Importante: sem escrever uma palavra;
  • Cada capítulo deve ser apresentado: 1- um parque ecológico, 2- um casal caminhando, 3- comprando um picolé, 4- jogando papel no chão, 5- uma criança recolhendo o papel e jogando-o no lixeiro:
  • Ao terminar os desenhos, trocam-se as folhas entre grupos :
  • Cada grupo trata de completar os desenhos que têm em mãos e, agora sim, escrevendo a história nas próprias folhas.

O ( a) professor (a) prepara um "varal" para expor as histórias. É importante que seja discutido o conteúdo apresentado e a evolução da dinâmica:

  • Qual sentimento surgiu ao deixar o outro escrever e finalizar a istória?
  • Qual é a nossa atitude diante da situação que acabamos de desenhar? Somos aqueles que jogam papel no chão ou a criança que põe o lixo no lixeiro?
  • O problema é a falta de lixeiro ou a falta de consciência das pessoas?

24/09/07

O BRASIL: CLIMA E PAISAGEM

BRASIL: CLIMA E PAISAGENS


“Moro num pais tropical
Abençoado por Deus
E bonito por natureza
Mas que beleza (...)”

1) Você mora na região tropical da Terra. Observe o mapa, discuta com suas colegas e a professora e responda: O que caracteriza essa região?
2) Como são as chuvas e a temperatura do ar em sua cidade?
3) Você gosta do clima de sua cidade? Por quê?

PESQUISANDO:

1) Recorte de vários jornais reportagens que falem sobre a previsão do tempo. Compare as temperaturas de diferentes cidades do Brasil. Anote os nomes de algumas cidades que apresentam as maiores e as menores temperaturas.
2) Em seguida busque saber o motivo destas diferenças de temperatura. Discuta com sua professora e colegas.
3) Procure descobrir o tipo de vegetação existente em cada região do Brasil:
a) Minhas árvores estão bem próximas, sempre bem verdinhas, com folhas largas. A região Norte é a minha morada.
b) Apareço próximo ao litoral, muito verde, com altas árvores. Fui muito devastada pelo homem,
c) Sou formado por árvores, arbustos e vegetação rasteira. Minha morada predileta é a Região Centro-Oeste.
d) Sou formada por muitas palmeiras. Estou no Nordeste brasileiro.
e) Estou numa região muito visitada pelos turistas. Minha vegetação é bastante diversificada. Quem sou?
f) Chuva aqui não é comum. Sou uma vegetação com muitos espinhos.
g) Sou uma vegetação que nasce na areia ou fica inundada pela água salgada.

O MUNDO DAS FÁBULAS

NO MUNDO DAS FÁBULAS

As fábulas têm como principal característica a presença de animais-personagens, com comportamentos e sentimentos humanos, e de uma moral, que sintetiza um ensinamento.

Pesquise as seguintes fábulas:
· O leão e o rato
· O galo de briga e a águia
· A formiga e a pomba
· O burro e o lobo
· A lebre e o jabuti
· A rã e o touro
· E outras que acharem interessantes.

1) Analisar a linguagem de cada fábula em que são parecidas?
2) Com os colegas e a professora, listem no quadro os animais que apareceram nas fábulas que vocês trouxeram e leram.
3) Em duplas, escrevam o que vocês sabem sobre dois dos animais que aparecem na lista: a que grupo pertencem, que características físicas apresentam, o que comem, etc.
4) Na descrição física dos animais, destaque os adjetivos ou locuções adjetivas que surgirem.
5) Ainda em dupla, escrevam que características humanas os animais citados na roda de fábulas representam. Depois discutam com as outras duplas as diferentes opiniões.

Problemas no Espaço Urbano e Rural

PROBLEMAS DOS ESPAÇOS RURAL E URBANO

Leia ou cante a letra da música “Asa Branca”, de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira:

ASA BRANCA
Quando oiei a terra ardendo
Qual foguêra de São João
Eu pergutei-ei a deus do céu, ai
Pru que tamanha judiação?

Qui brasero, que fornaia
Nem um pé de prantação
Por falta d’água, perdi meu gado
Morreu de sede meu alazão

Inté mesmo a asa branca
Bateu asas do sertão
Entonce eu disse adeus Rosinha
Guarda contigo meu coração.

Hoje longe nuitas léguas
Numa triste solidão
Espero a chuva caí de novo
Pra mim vortá pro meu sertão.

Quando verde dos teus óios
Se espaiá na prantação
Eu te asseguro, num chore não, viu
Que eu voltarei, viu, meu coração.

Em seu caderno faça o que se pede abaixo:


1) Que trabalho realiza a personagem da música? Identifique os versos da música que mostram isso e copie-os.
2) Por que a personagem da música teve de deixar o sertão?
3) Qual o sonho da personagem?
4) Desenhe como você imagina o ambiente descrito na música.

PESQUISANDO:
Pesquise e descubra se no local onde você mora há pessoas que vieram do espaço rural. Se houver, converse com elas para saber os motivos que as levaram a tomar essa atitude. Descubra também qual o tipo de atividade em que trabalham no espaço urbano.
Troque idéias com seus colegas e sua professora sobre elas Registre em seu caderno suas descobertas.

O GUARDA-CHUVA AMARELO

O GUARDA CHUVA AMARELO
Era uma vez uma cidade cinzenta e triste, onde, quando chovia, todos os habitantes giravam pelas ruas com guarda-chuvas pretos. Sempre, rigorosamente, pretos.
Sob o guarda- chuva todos tinham um rosto fechado e triste... E não pode ser diferente debaixo de um guarda-chuva preto!
Um dia, porém, em que chovia a cântaros, mais densamente do que nunca, apareceu improvisamente um homem um tanto bizarro que caminhava com um guarda-chuva amarelo. E, como se não bastasse, aquele homem sorria.
Alguns transeuntes olhavam-no escandalizados por debaixo do negro guarda-chuva que os protegia, e murmuravam:
Vejam que indecência! É realmente ridículo com aquele seu guarda-chuva amarelo. Não é nada sério! A chuva, porém, é uma coisa séria e o guarda-chuva não pode ser senão preto!
Outros se encolerizavam e comentavam:
- Mas ... que idéia é aquela de andar por aí com um guarda-chuva amarelo? Aquele fulano é apenas um exibicionista, alguém que deseja fazer-se notar a qualquer custo. Não é nada divertido! De fato, nada havia de divertido naquela cidade, onde sempre chovia e os guarda-chuvas eram todos pretos.
Só a pequena Natasha não sabia o que pensar. Um pensamento passava-lhe pela cabeça com insistência: “Quando chove, um guarda chuva é um guarda-chuva. Amarelo ou preto que seja, o que conta é ter um guarda-chuva que proteja da chuva”. Além disso, a pequena percebia que aquele homem debaixo do seu guarda-chuva amarelo tinha a aparência de estar perfeitamente contente e feliz. E se perguntava o porquê.
Certo dia, à saída da escola, Natasha percebeu que esquecera seu guarda-chuva preto em casa. Teve que ir para casa na chuva.
Por um acaso o homem de guarda-chuva amarelo passou por ela e lhe ofereceu proteção. E ela aceitou.
Aceitou e protegeu-se sob o guarda-chuva amarelo junto àquele homem gentil.
Entendeu, então, por que ele era feliz: debaixo do guarda-chuva amarelo o mau tempo não existia mais! Havia um grande sol quente em céu azul, onde os passarinhos voavam gorjeando.
O homem então contou para Natasha que ele também andava de guarda-chuva preto e então só via o mundo escuro e sem vida, até que um senhor passou por ele e lhe ofereceu abrigo debaixo do seu guarda-chuva amarelo, foi então que percebe que o mundo tem a cor que a gente quer, o sem que a gente quer, a vida que a gente quer.
Mas explicou para Natasha que aquele guarda-chuva era de todo mundo. Quando chegaram diante da casa de Natasha, despediram.
Logo que o homem, afastando-se, desapareceu, a menina percebeu que tinha nas mãos o seu guarda-chuva amarelo. Aquele homem gentil, porém, quem sabe onde estava...
Dessa forma, Natasha conservou o guarda-chuva amarelo, mas já sabia que logo teria trocado novamente de dono, passaria para outras mãos, para abrigar da chuva e levar o “Bom Tempo” a outras pessoas.

Atividades:

1) Contar a história para os alunos.
2) Discutir o que a história quer nos dizer.
3) Escrever no caderno as palavras desconhecidas e procurar o seu significado.
4) Pegar o seu guarda-chuva amarelo feito de EVA e escrever nele o que deve ter em nossa vida, na nossa família, na escola e na sociedade para que tenhamos um “bom tempo”.
5) Para finalizar, cada um deverá produzir uma flor com papel dobradura. Depois de pronto escrever em seu interior qual a semente que queremos que floresça dentro do nosso coração para tornar-nos pessoas felizes. (Deverá ser colado em um painel contendo a seguinte frase: “Deus colocou em nosso coração a semente do amor.”)

18/09/07

Construindo uma História

Sugestão para escrever uma história:

Escrever a história de sua rua ( individual) - livrinho da rua, abordando algumas carscteristicas da rua: asfaltada, esgoto, calçada, ponto de ônibus, movimento, árvores, poluição, o que tem, o que gostaria que tivesse, o que não gosta...

Roteiro:
1- O que você mais gosta na sua rua?
2- Existe alguma coisa que você não gosta na sua rua?
3- O que você gostaria de mudar?
4- O que nós poderíamos fazer para melhorar esses problemas?

Considerações Finais:
Através dessa metodologia estamos ultrapassando a simples transmissão de conhecimento para chegarmos até a construção dos saberes. O prazer e o hábito da leitura podem ser estimulados e devem estar sempre associados á leitura da vida. Dê o exemplo, abra um livro, divida a história, os sonhos, alegrias, preocupação e aprendizados diversos.

17/09/07

OS LAVA PRATOS

Estudo de uma história em quadrinhos com a Turma da Mônica. Vamos trabalhar com Português, Ciências e salientar que não existe separação de atividades entre os sexos.
1) Leia a História em quadrinhos.

2) Estudo do texto:
a) Você gosta de ler história em quadrinhos? Por quê?
b) Por que Cascão recebeu este nome?
c) Alé, de Cascão, que outras personagens participaram da história?
d) O que Titi e Cebolinha estavam fazendo qundo Cascão os procurou?
e) Dê a sua opinião: Oh, Cebolinha! Isso é servoço de menina!
f) Por que Cascão contou aos outros meninos que cebolinha e Titi lavam pratos?
g) Como teminou a história?

3) O personagem Cebolinha troca a letra r pela letra l. Reescreva em seu caderno as palavras utilizadas por ele, só que corretamente.

4) Imagine uma pessoa que não toma banho e crie um texto bem bonito para ilustrar sua situação imaginada. Se quiser pode ilustrar.

12/09/07

APRENDENDO MAIS COM O HINO NACIONAL BRASILEIRO

Aprendendo mais com o Hino Nacional Brasileiro

HINO NACIONAL
Parte I
Ouviram do Ipiranga as margens plácidasDe um povo heróico o brado retumbante,E o sol da liberdade, em raios fúlgidos,Brilhou no céu da pátria nesse instante.
Se o penhor dessa igualdadeConseguimos conquistar com braço forte,Em teu seio, ó liberdade,Desafia o nosso peito a própria morte!
Ó Pátria amada,Idolatrada,Salve! Salve!
Brasil, um sonho intenso, um raio vívidoDe amor e de esperança à terra desce,Se em teu formoso céu, risonho e límpido,A imagem do Cruzeiro resplandece.
Gigante pela própria natureza,És belo, és forte, impávido colosso,E o teu futuro espelha essa grandeza.
Terra adorada,Entre outras mil,És tu, Brasil,Ó Pátria amada!Dos filhos deste solo és mãe gentil,Pátria amada,Brasil!
Parte II
Deitado eternamente em berço esplêndido,Ao som do mar e à luz do céu profundo,Fulguras, ó Brasil, florão da América,Iluminado ao sol do Novo Mundo!
Do que a terra, mais garrida,Teus risonhos, lindos campos têm mais flores;"Nossos bosques têm mais vida","Nossa vida" no teu seio "mais amores."
Ó Pátria amada,Idolatrada,Salve! Salve!
Brasil, de amor eterno seja símboloO lábaro que ostentas estrelado,E diga o verde-louro dessa flâmula- "Paz no futuro e glória no passado."
Mas, se ergues da justiça a clava forte,Verás que um filho teu não foge à luta,Nem teme, quem te adora, a própria morte.
Terra adorada,Entre outras mil,És tu, Brasil,Ó Pátria amada!Dos filhos deste solo és mãe gentil,Pátria amada,Brasil!

Letra: Joaquim Osório Duque Estrada
Música: Francisco Manuel da Silva

ATIVIDADES

1) Após o canto do HINO NACIONAL BRASILEIRO, sublinhe as palavras desconhecidas, copie-as no seu caderno e procura o seu significado no dicionário.

2) A partir do trecho abaixo retirado do hino, crie uma poesia registrando os seus sonhos e desejos para a sua Pátria querida o BRASIL:

Brasil, um sonho intenso, um raio vivido
De amor e de esperança à terra desce,
Se em teu formoso céu, risonho e límpido,
A imagem do Cruzeiro resplandece.